• COVER ME SQUASH 2017
  • Francisco Spinola em estagio com selecção nacional

Decorrem as inscrições para o primeiro torneio da época Squashística, desta feita com o importante apoio da marca "COVER ME®”, cujos vários espaços na região são conhecidos pela qualidade dos produtos que comercializa, os quais conferem maior proteção e grande "estilo" a todos os telemóveis e tablets.

As inscrições (sign-up) para o "COVER ME® SQUASH 2017" decorrem até às 23h59 do próximo dia 31 de Janeiro de 2017 através do link https://fns.sportyhq.com/xy9kp , podendo para o efeito participar qualquer atleta filiado na FNS.

A prova decorrerá no court do Hotel Madeira Regency Club entre o final da tarde do dia 2 (quinta-feira) a dia 4 (Sábado todo o dia) de Fevereiro.

Salientamos que o pagamento das inscrições será feito no local da prova e é condição obrigatória para a participação do atleta no torneio, pelo que recomendamos que sejam portadores do valor certo, necessário ao respetivo pagamento.

Endereçamos o convite a todos os simpatizantes da modalidade para que compareçam no Hotel Madeira Regency Club, abrilhantando assim com a V/ presença o arranque da época neste "COVER ME® SQUASH 2017"!

A todos os atletas desejamos um Excelente torneio com muito fair-play!

Read More

Decorre este fim de semana (17 e 18 de Outubro/2015), o Estágio de Observação Sub-17, em Abrantes/Tomar. Orientados pelos nosso Treinadores do Gabinete Técnico Junior Nacional (Paulo Mamede e Susana do Valle), participam neste estágio:

Bruno Gomes (Lisboa Racket Centre)

Francisco Spínola (Madeira Squash Clube)

Guilherme Prata (Squash Colégio de Lamas)

Iara Gonçalves (Anadia Squash Clube)

João Romano ( Escola de Squash do Porto)

Leonardo Durães(SquashRoom)

Mariana Martins (Areias de São João)

Simão Neves (Anadia Squash Clube)

Tiago Leite (Proracket)

Num primeiro dia bastante exigente e trabalhoso, os nossos jovens jogadores corresponderam na integra ao plano de treinos proposto.

Um especial agradecimento ao Barbus - Clube de Squash do Vale do Tejo, pelo empenho na organização deste Estágio.

Esta concentração conta com o apoio da Câmara Municipal de Tomar e do Hotel Segredos de Vale Manso.

Read More

Francisco Spinola com estreia positica no C.N.

Teve lugar no passado fim de semana no complexo desportivo de Espinho, o campeonato nacional júnior para os escalões sub-15 e sub-19. A prova contou com um surpreendente numero de 40 jovens atletas provenientes das várias regiões e escolas de squash do país, entre as quais os Açores e a Madeira.
Pela primeira vez em vários anos tivemos a oportunidade de ver participar nesta competição um dos mais promissores jovens atletas da Madeira - Francisco Spínola, que vem evoluindo na "Madeira Squash Academy", pólo de formação do Madeira Squash Clube cujos treinos ocorrem no Hotel Madeira Panorâmico no Funchal. A "comitiva" madeirense contou assim com Francisco Spínola e seu treinador (e pai) Marco Spínola, enquanto representantes da nossa região no evento. Francisco Spínola "estreara-se" nestas andanças "além mar" no passado mês de Junho no "Portuguese Junior Open", etapa do circuito europeu júnior da modalidade que teve lugar no Porto e onde participaram 67 atletas de tenra idade de diversas proveniências, como Qatar; Egipto; Espanha; Inglaterra; Holanda entre outras.

Já no passado sábado no campeonato nacional, escalão de sub-15, Francisco Spínola defrontou e bateu na ronda inaugural Rui Gonçalo Coutinho, numa partida onde o equilíbrio foi nota dominante em virtude sobretudo, do nervosismo e ansiedade bem patentes no atleta madeirense. Ainda assim no final, Spínola vencia por 3-2 em sets com os parciais de 11-7/8-11/13-11/6-11 e 11-5, o que lhe permitia aceder ao quadro principal e figurar entre os 16 melhores atletas jovens do país. Uma verdadeira proeza considerando a falta de ritmo competitivo que indubitavelmente persiste sobre os atletas "insulares", situação que infelizmente perdura pela falta de apoios que grassam numa modalidade como o squash, implicando inexplicavelmente e injustamente, que este tipo de oportunidades requeira a necessidade de investimento direto por parte dos próprios atletas/pais, quando noutras modalidades vemos atletas e equipas que não atingem os patamares que o squash de formação ambiciona, aliás consegue alcançar, mas que beneficiam das condições necessárias à sua participação nas competições nacionais e algumas internacionais.
Francisco Spínola prosseguiu assim a sua participação para os 1/8 final onde viria a defrontar tão só o campeão nacional em título naquele escalão - Guilherme Prata, que, confirmando o referido anteriormente apresenta já nesta época um impressionante número de 17 participações em torneios, que contrastam com a quarta participação do atleta da "Madeira Squash Academy" em provas, na época em curso.
A natural supremacia de um atleta com maior ritmo competitivo e experiência veio ao de cima, tendo Guilherme Prata vencido a partida por 3-0 em sets com os parciais de 11-3/11-5 e 11-9. O júnior madeirense viu-se assim arredado da luta pelos lugares cimeiros da competição, não sem antes deixar boa réplica sobretudo no terceiro set onde denotou já menor "pressão" e chegou a liderar por 9-6, não conseguindo contudo segurar o resultado e acabando por ser batido pelo seu adversário de Lamas.
Marco Spínola, treinador, considerou ainda assim bem sucedida esta participação pela "necessidade de proporcionar este tipo de experiências nesta fase de evolução dos jovens atletas, não só como reconhecimento do trabalho que desenvolvem ao longo da semana mas também para que adquiram um ritmo competitivo superior ao que é possível alcançar na modalidade a nível regional", sendo que "mais importante do que os resultados, é importante que a Madeira esteja representada neste tipo de eventos como qualquer outra região do país" embora lamente que "tal só se torna possível pelo investimento a expensas próprias que se torna necessário realizar para este efeito", situação que este treinador entende "urge ver alterada porquanto não confere justiça para miúdos que como o Francisco trabalham tanto ou mais que noutras modalidades". Francisco Spínola, relativamente a esta sua estreia em campeonatos nacionais, reconheceu a "ansiedade nos primeiros jogos" mas considerou "muito importante poder jogar com outros atletas com mais experiência", que refere ajudarem muito na sua evolução, o que "não é possível nos torneios realizados na Madeira".
Como nota final, entende-se devido o destaque também para os restantes representantes insulares na prova levada a efeito em Espinho. Os Açores estiveram extraordinariamente bem representados nesta prova pelo jovem Luís Tavares (que competiu junto com Francisco Spínola no escalão sub-15) e pelo seu treinador João Medeiros. Este reconhecimento decorre da humildade com que este jovem atleta e o seu treinador se apresentam, considerando as dificuldades que enfrentam para treinar naquele arquipélago, onde não existe qualquer tipo de competição e/ou coletividades desta modalidade. Além destes aspectos, os Açores apenas apresentam um reduzido número de praticantes, situações que ainda assim não impedem Luís Tavares de se apresentar como um promissor jovem atleta do squash nacional, confirmando-o pela merecida quarta posição que veio a alcançar nesta prova. Estão assim de parabéns o Luís Tavares e o seu treinador João Medeiros, havendo prenúncio de maior aproximação e troca de experiências entre os atletas insulares que certamente no futuro possibilitarão aos jovens atletas da Madeira e dos Açores um intercâmbio saudável no seu processo de formação.
Por fim importa naturalmente felicitar os novos campeões nacionais, que a saber são: Escalão sub-15 feminino - Sara Gouveia que bateu na final Inês das Neves; sub-15 Masculinos - Simão Neves que defrontou e venceu na final Guilherme Prata (que eliminara o madeirense Francisco Spínola); sub-19 feminino - Catarina Nunes que venceu na final Alexandra Santos e sub-19 masculinos - Cláudio Pinto (penta campeão nacional!) que na final mais aguardada do dia derrotou Tomás Silva por um esclarecedor 3-0 mas com grandes momentos de squash presenciados por uma plateia repleta de atletas e entusiastas da modalidade.
Os parabéns são também devidos a toda a organização da prova, nomeadamente ao Marco Prata e ao Tiago Almeida, pelo trabalho "exigente" que tiveram para conseguir levar a cabo este evento, que se traduziu num bom exemplo da qualidade do squash de formação praticado no nosso país. Os representantes da Madeira endereçam também um agradecimento às demais entidades que possibilitaram a realização desta importante competição para o squash nacional entre as quais, como não podia deixar de ser, a Federação Nacional de Squash e o anfitrião Complexo de Ténis APAM/Espinho Squash Center pela amabilidade com que nos receberam e pelas condições que nos proporcionaram durante toda a competição.
Uma experiência enriquecedora e que esperamos ver repetida em edições futuras!
MSA