• COVER ME SQUASH 2017
  • Francisco Spinola em estagio com selecção nacional

Decorrem as inscrições para o primeiro torneio da época Squashística, desta feita com o importante apoio da marca "COVER ME®”, cujos vários espaços na região são conhecidos pela qualidade dos produtos que comercializa, os quais conferem maior proteção e grande "estilo" a todos os telemóveis e tablets.

As inscrições (sign-up) para o "COVER ME® SQUASH 2017" decorrem até às 23h59 do próximo dia 31 de Janeiro de 2017 através do link https://fns.sportyhq.com/xy9kp , podendo para o efeito participar qualquer atleta filiado na FNS.

A prova decorrerá no court do Hotel Madeira Regency Club entre o final da tarde do dia 2 (quinta-feira) a dia 4 (Sábado todo o dia) de Fevereiro.

Salientamos que o pagamento das inscrições será feito no local da prova e é condição obrigatória para a participação do atleta no torneio, pelo que recomendamos que sejam portadores do valor certo, necessário ao respetivo pagamento.

Endereçamos o convite a todos os simpatizantes da modalidade para que compareçam no Hotel Madeira Regency Club, abrilhantando assim com a V/ presença o arranque da época neste "COVER ME® SQUASH 2017"!

A todos os atletas desejamos um Excelente torneio com muito fair-play!

Read More

Decorre este fim de semana (17 e 18 de Outubro/2015), o Estágio de Observação Sub-17, em Abrantes/Tomar. Orientados pelos nosso Treinadores do Gabinete Técnico Junior Nacional (Paulo Mamede e Susana do Valle), participam neste estágio:

Bruno Gomes (Lisboa Racket Centre)

Francisco Spínola (Madeira Squash Clube)

Guilherme Prata (Squash Colégio de Lamas)

Iara Gonçalves (Anadia Squash Clube)

João Romano ( Escola de Squash do Porto)

Leonardo Durães(SquashRoom)

Mariana Martins (Areias de São João)

Simão Neves (Anadia Squash Clube)

Tiago Leite (Proracket)

Num primeiro dia bastante exigente e trabalhoso, os nossos jovens jogadores corresponderam na integra ao plano de treinos proposto.

Um especial agradecimento ao Barbus - Clube de Squash do Vale do Tejo, pelo empenho na organização deste Estágio.

Esta concentração conta com o apoio da Câmara Municipal de Tomar e do Hotel Segredos de Vale Manso.

Read More

Entrevista com Roberto Abreu

Image Provavelmente o atleta no activo com mais anos de experiência em torneios de Squash, inclusive com alguns torneios do circuito Nacional efectuados. Em 2008 atingiu duas finais, alcançou um terceiro lugar em 2009 poderá confirmar o seu valor. Mais um atleta entrevistado pelo MSC e que dá a conhecer a sua história no Squash em breves palavras.
Joga desde quando: 1º Contacto com o squash foi a 25 anos. Assiduamente desde 1999
Primeiro companheiro de treino/jogo: Ivo Fernandes
Local onde treina habitualmente: Ondarevital
Treina/joga com que regularidade: 3 vezes por semana
Actual colega de treino/jogo: Rui Catanho, Delfim, Lino Bento, Joe Fernandes, entre outros
Marca de raquete usada: Tecnifibre carboflex 130g
Melhores resultados alcançados: dois segundos lugares
Jogador internacional que mais admira: Sem preferência

MSC: Tudo tem um início. Como é que surgiu o squash na sua vida?
R.A.: Surgiu através do meu primo (Ivo Fernandes), no extinto campo da Quinta Magnólia, acompanhava os torneios que eram feitos na Madeira, nos intervalos dos jogos ia para o court tentar acertar com a raquete na bola. O gosto pela modalidade foi crescendo gradualmente ao ponto de se tornar a modalidade de eleição desde o ano de 1999.

MSC: Quanto costumas gastar por mês em Squash (equipamento, treinos, aluguer de campos, torneios, deslocações,...)?
R.A.:  Basicamente os gastos com o squash são com as inscrições nos torneios. A compra de material para a prática do squash, é feita 2 a 3 vezes por ano, dai não ter gastos mensais.

MSC: Boa preparação. Que preparação Física e mental costumas fazer para a competição? Que cuidados tem com a alimentação?
R.A.: Não faço qualquer tipo de preparação especial, para a competição pelo facto de treinar da mesma forma que jogo. Em relação à alimentação não faço restrições. 

MSC: Qual foi o melhor adversário que já defrontou? No Panorama Regional quem, pessoa ou entidade, gostaria de destacar como fomentador e dinamizador da modalidade? A quem atribuiria o prémio «fair-play»?
R.A.: Já tive o prazer de defrontar alguns grandes valores do squash a nível nacional e regional, o melhor de todos foi o Paulo Alexandre, um jogador que já foi da selecção nacional e que actualmente vive em Espanha e compete no campeonato espanhol.
Os dinamizadores do squash na Região, no meu entender são os clubes existentes (Madeira Squash e Centro Desportivo GaloMar), são eles que organizam os torneios e em consequência disso a modalidade vai ganhando uma maior expressão.
O Fair-Play é muito subjectivo, não seria correcto da minha parte estar a atribuir este tipo de prémio a uma pessoa em concreto. 

MSC: Objectivos. Quais são os objectivos desportivos a curto prazo? E a médio/longo?
R.A.: Ganhar. Ganhar, Ganhar…

MSC: Para os principiantes. Que conselhos dá a quem queira começar agora?
R.A.: Essencialmente que se divirtam quando estão dentro de um court de squash, o resto vem por acréscimo.

MSC: Squash Regional. O que pensa sobre o actual momento do squash português?
R.A.: Felizmente que actualmente o squash esta organizado, a anarquia que existia foi ultrapassada, o que faz com que seja olhado de uma forma mais positiva por parte das pessoas, quer sejam atletas ou estejam em vias de o ser.

MSC: Madeira Squash Clube – Que opinião tem acerca deste clube? E do site do Clube?
R.A.: A melhor possível, falando do clube não posso deixar de mencionar o nome do Duarte Gregório, pessoa que muito fez pelo squash enquanto pertenceu ao clube.
Em relação ao site, esta muito bem estruturado, de consulta cómoda e acima de tudo sempre actualizado.