• COVER ME SQUASH 2017
  • Francisco Spinola em estagio com selecção nacional

Decorrem as inscrições para o primeiro torneio da época Squashística, desta feita com o importante apoio da marca "COVER ME®”, cujos vários espaços na região são conhecidos pela qualidade dos produtos que comercializa, os quais conferem maior proteção e grande "estilo" a todos os telemóveis e tablets.

As inscrições (sign-up) para o "COVER ME® SQUASH 2017" decorrem até às 23h59 do próximo dia 31 de Janeiro de 2017 através do link https://fns.sportyhq.com/xy9kp , podendo para o efeito participar qualquer atleta filiado na FNS.

A prova decorrerá no court do Hotel Madeira Regency Club entre o final da tarde do dia 2 (quinta-feira) a dia 4 (Sábado todo o dia) de Fevereiro.

Salientamos que o pagamento das inscrições será feito no local da prova e é condição obrigatória para a participação do atleta no torneio, pelo que recomendamos que sejam portadores do valor certo, necessário ao respetivo pagamento.

Endereçamos o convite a todos os simpatizantes da modalidade para que compareçam no Hotel Madeira Regency Club, abrilhantando assim com a V/ presença o arranque da época neste "COVER ME® SQUASH 2017"!

A todos os atletas desejamos um Excelente torneio com muito fair-play!

Read More

Decorre este fim de semana (17 e 18 de Outubro/2015), o Estágio de Observação Sub-17, em Abrantes/Tomar. Orientados pelos nosso Treinadores do Gabinete Técnico Junior Nacional (Paulo Mamede e Susana do Valle), participam neste estágio:

Bruno Gomes (Lisboa Racket Centre)

Francisco Spínola (Madeira Squash Clube)

Guilherme Prata (Squash Colégio de Lamas)

Iara Gonçalves (Anadia Squash Clube)

João Romano ( Escola de Squash do Porto)

Leonardo Durães(SquashRoom)

Mariana Martins (Areias de São João)

Simão Neves (Anadia Squash Clube)

Tiago Leite (Proracket)

Num primeiro dia bastante exigente e trabalhoso, os nossos jovens jogadores corresponderam na integra ao plano de treinos proposto.

Um especial agradecimento ao Barbus - Clube de Squash do Vale do Tejo, pelo empenho na organização deste Estágio.

Esta concentração conta com o apoio da Câmara Municipal de Tomar e do Hotel Segredos de Vale Manso.

Read More

Entrevista com Lino Bento

Image É actualmente presidente da mesa da assembleia do nosso Clube, pratica squash várias vezes por semana embora sem competir em torneios. Esperamos a qualquer momento a sua presença em um dos nossos torneios e quem sabe...a lutar por uma final.


Joga desde 1980

Primeiro companheiro de treino/jogo foi o Emanuel Rodrigues
 Treina habitualmente no Onda Revital
Treina/joga 3 vezes por semana
Com: Delfim Esteves, Roberto, Jose Fernandes, Miguel Catanho
Usa raquete da marca Karakal
Melhores resultados alcançados: Vários títulos a nível individual e a nível colectivo, Campeão de Portugal e Campeão Nacional pelo Madeira Squash Clube.
Jogador internacional que mais admira: Os esquerdinos do circuito profissional



MSC: Tudo tem um início. Como é que surgiu o squash na sua vida?
LB: Com o meu amigo de longa data Emanuel Rodrigues. Começamos a jogar no antigo court da Quinta Magnólia.

MSC: Embora sem competição a alguns anos, quanto costuma gastar por mês em Squash (equipamento, treinos, aluguer de campos, deslocações,...)?
LB: Cerca de 100 euros.

MSC. Boa preparação. Que preparação Física e mental costuma fazer para a competição? Que cuidados tem com a alimentação?  
LB: Além do treino de squash, pratico corrida e golfe. A questão mental é essencial para os desportos individuais e para este em particular devido à rapidez a necessidade de pensar em muito pouco segundos. Na alimentação os cuidados são os normais.

MSC: Qual foi o melhor adversário que já defrontou?
LB: A nível Nacional o Timmy Broad e a nível Internacional, Nick Mathew, actual número 9 do ranking.

MSC: No Panorama Regional quem, pessoa ou entidade, gostaria de destacar como fomentador e dinamizador da modalidade?
LB: Há alguns anos o José Manuel Pimenta, depois com o estagnar da modalidade, o Madeira Squash deu um empurrão significativo à dinamização da modalidade e ao nível que ela hoje se encontra.

MSC: Objectivos. Quais são os objectivos desportivos a curto prazo? E a médio/longo? Para quando um regresso á competição?
LB: Manter o nível de assiduidade de treino dentro dos condicionalismos profissionais que normalmente tenho.
A nível competitivo o meu objectivo é tentar fazer dois ou três torneios durante o corrente ano.

MSC: Para os principiantes. Que conselhos dá a quem queira começar agora?
LB: Em primeiro lugar que se divirtam, o Squash é uma modalidade excitante, bastante exigente a nível físico, que requer uma grande disciplina. À medida que evoluem e se adoptarem este deporto em termos competitivos deverão iniciar um programa de treino a diversos níveis, físico, técnico, e psicológico adequado aos objectivos individuais.
 

MSC: Squash Regional. Tendo em conta o seu trajecto no squash regional, o que pensa sobre o actual momento do squash Regional? Quais as diferenças para a situação de quando se iniciou na modalidade?
LB: Penso que está muito bem. Faz-me lembrar uma fase nos anos de 97, 98 e 99 em que tínhamos torneios muito competitivos com cerca de 60 jogadores.
O material, os courts evoluiu bastante o que tornou a modalidade mais apelativa. Contudo é necessário que apareçam jogadores mais jovens de forma a revitalizar a modalidade.
Deve-se apostar na formação entre os actuais clubes da Região, ao nível do treino e da arbitragem. Existem pessoas com muita dedicação e disponibilidade que poderão dar o seu contributo ao squash regional.

MSC: Madeira Squash Clube – Que opinião tem acerca deste clube? E do site do Clube?
LB: O Madeira Squash foi uma pedrada no charco aquando do seu aparecimento no panorama desportivo e no squash em particular.
As pessoas estavam de costas voltadas, devido aos seus afazeres profissionais, os principais dinamizadores de então deixaram de praticar a modalidade não havia um elemento aglutinador, pelo o MSC teve e tem um papel importante, não podendo deixar de referir o Duarte Gregório e o Óscar Pereira, cuja dinamização foi essencial.
O site do Clube tem melhorado ao longo dos tempos, é interessante de ler e só desejo que continuem a evoluir nesse sentido.
Por último e como praticante da modalidade há cerca de 30 anos deixo uma palavra de incentivo a todos os jogadores que se iniciam neste desporto espectacular, mesmo que a idade não seja tão jovem e aos novos Clubes existentes na Região. Com o vosso contributo tenho a certeza que o Squash irá desenvolver-se ainda mais.