• COVER ME SQUASH 2017
  • Francisco Spinola em estagio com selecção nacional

Decorrem as inscrições para o primeiro torneio da época Squashística, desta feita com o importante apoio da marca "COVER ME®”, cujos vários espaços na região são conhecidos pela qualidade dos produtos que comercializa, os quais conferem maior proteção e grande "estilo" a todos os telemóveis e tablets.

As inscrições (sign-up) para o "COVER ME® SQUASH 2017" decorrem até às 23h59 do próximo dia 31 de Janeiro de 2017 através do link https://fns.sportyhq.com/xy9kp , podendo para o efeito participar qualquer atleta filiado na FNS.

A prova decorrerá no court do Hotel Madeira Regency Club entre o final da tarde do dia 2 (quinta-feira) a dia 4 (Sábado todo o dia) de Fevereiro.

Salientamos que o pagamento das inscrições será feito no local da prova e é condição obrigatória para a participação do atleta no torneio, pelo que recomendamos que sejam portadores do valor certo, necessário ao respetivo pagamento.

Endereçamos o convite a todos os simpatizantes da modalidade para que compareçam no Hotel Madeira Regency Club, abrilhantando assim com a V/ presença o arranque da época neste "COVER ME® SQUASH 2017"!

A todos os atletas desejamos um Excelente torneio com muito fair-play!

Read More

Decorre este fim de semana (17 e 18 de Outubro/2015), o Estágio de Observação Sub-17, em Abrantes/Tomar. Orientados pelos nosso Treinadores do Gabinete Técnico Junior Nacional (Paulo Mamede e Susana do Valle), participam neste estágio:

Bruno Gomes (Lisboa Racket Centre)

Francisco Spínola (Madeira Squash Clube)

Guilherme Prata (Squash Colégio de Lamas)

Iara Gonçalves (Anadia Squash Clube)

João Romano ( Escola de Squash do Porto)

Leonardo Durães(SquashRoom)

Mariana Martins (Areias de São João)

Simão Neves (Anadia Squash Clube)

Tiago Leite (Proracket)

Num primeiro dia bastante exigente e trabalhoso, os nossos jovens jogadores corresponderam na integra ao plano de treinos proposto.

Um especial agradecimento ao Barbus - Clube de Squash do Vale do Tejo, pelo empenho na organização deste Estágio.

Esta concentração conta com o apoio da Câmara Municipal de Tomar e do Hotel Segredos de Vale Manso.

Read More

Entrevista com Jordi Bercedo

Image Já esteve duas vezes na Madeira a participar em torneios e desde cedo criamos um laço de amizade forte com ele. É Presidente da Federação Canária de Squash e membro da direcção da Federação Espanhola de Squash. Como atleta é actualmente o nº8 de Espanha e por motivos alheios á sua e nossa vontade não poderá estar presente no Diário de Noticias Squash 2009 organizado por nós e pela Associação Desportiva Galomar.

MSC.: Há quanto tempo está ligado ao Squash? Como começou o squash na sua vida?
JB.: Há 25 anos atrás. Entre pela primeira vez num court de Squash e ainda não sai....
MSC.: Como começaste a ser dirigente na modalidade? Porque?
Estava estudando economia na faculdade e nessa altura a Federação Canária de Squash estava KO. Então pensei em ser presidente da FCS após a conclusão dos meus estudos.
MSC.: Como presidente da Federação Canária, o que achas sobre o actual momento da modalidade? Perspectivas futuras a nível internacional ?
JB.: O Squash precisa de mais marketing para ser mais popular e mais importante. Se nós conseguirmos a inclusão do Squash nos jogos Olimpicos de 2016, então seria fabuloso para a promoção mundial do squash.

MSC.: Junto dos Jovens a Federação tem um papel fundamental nomeadamente na promoção da modalidade. Fale-nos sobre o vosso trabalho com a população mais jovem.
JB.: O trabalho com os mais jovens é absolutamente necessário. A modalidade precisa de jogadores novos para o futuro mas o problema é que cada vez é mais dificil captar os jovens para o Squash.
MSC.: Como acha que deve ser divulgado o Squash pelas camadas jovens quando esta é uma modalidade com pouca mediatização a nível europeu?
MSC.: Consideras esta uma modalidade para todos?
JB.: Claro, para rapazes, raparigas, menos jovens, todos podem jogar Squash e convido toda a gente a experimentá-lo.
MSC.: Madeira Squash Clube – Que opinião tem acerca deste clube? E do Squash madeirense?
JB.: Madeira Squash Clube é fantastico. Gosto muito e é muito similar com os clubes existentes nas Ilhas Canárias. Somos pequenos, todos trabalhamos sem dinheiro e é muito dificil. Seguramente o MSC será maior no futuro.

E Agora falando de si como jogador...

MSC.: Fazendo uma auto-avaliação. Fale-nos dos seus pontos fortes e os menos fortes?
JB.: Sou um lutador dentro de court. Luto por todas as bolas e bato muito forte. O meu grande problema é que por vezes relaxo muito durante um jogo fazendo com que perca alguns jogos que deveria ganhar.
MSC.: Ao nível da sua preparação, Costuma treinar ou treina jogando?
JB.: Treino Squash todos os dias, jogos, rotinas e etc.
MSC.: Que cuidados tem com a alimentação, a nível físico e mental?
JB.: Tento levar sempre uma vida saudável.
MSC.: Os altos e baixos. Qual foi o melhor momento que já viveu no squash? E o pior?
JB.: O mais alto foi quando participei no Campeonato Europeu de equipas á três anos em Budapeste e o pior foi um amigo meu morrer quando jogava squash.
MSC.: Consegue descrever estratégias para ultrapassar os momentos baixos de squash?
JB.: Para jogarmos bem squash precisamos de tempo, tempo e tempo. Se perderes um jogo ou se o teu jogo não estiver a sair como queres não desanimes. No futuro sairá melhor.
MSC.: Os ganhos da vida. Duma maneira geral, o que lhe tem proporcionado o Squash?
JB.: 25 anos de felicidade...